sábado, 27 de maio de 2017

Uma análise a respeito de 3 mitos sobre os Chromebooks



Os Chromebooks são equipamentos simples e projetados para trabalhar basicamente na web. Por este motivo algumas pessoas entendem que o Chrome OS não é um sistema operacional de verdade e que não devíamos perder tempo com ele, porém eu tenho um opinião contrária e gostaria de discuti-la com você.

Percebo que geralmente estas pessoas acabam repetindo o que ouvem ou que lêem, sem nunca terem experimentado um Chromebook de verdade. A maioria dos argumentos negativos já não fazem mais sentido ou simplesmente foram mal interpretados. Veremos a seguir 3 equívocos sobre esse sistema e a minha opinião a respeito.

1) Os Chromebooks são limitados


Alguns afirmam que os dispositivos Chrome são limitados. Porém poucos fornecem argumentos para embasar seus pontos de vista. A minha visão deste assunto é que a limitação está associada ao uso que queremos fazer dos nossos equipamentos.

Dependendo do seu perfil, os Chromebooks poderão não atender às suas expectativas. Nunca recomendaria este tipo de equipamento para um designer gráfico ou músico, porém se você é do tipo de pessoa que passa a maior parte do seu tempo em um navegador, acredito que os Chromebooks sejam capazes de suprir suas necessidades perfeitamente.

Os softwares que você está acostumado a rodar no seu PC ou no MAC não estarão disponível nestes computadores, porém se você tiver vontade e tempo para aprender, poderá achar alternativas bem interessantes na web store.

Um outro argumento que ouço bastante é que os webapps não são tão ricos em recursos quanto os nativos das plataformas tradicionais. A verdade é que esta diferença vem diminuindo rapidamente e atualmente já existem programas tão bons quanto os seus equivalentes do Windows ou Mac OS.

2) Só funcionam se houver Internet


Se você parar para pensar, dificilmente uma empresa funciona sem estar ligado o tempo todo na Internet. Se por exemplo, devido a perda de conectividade, o gerente de vendas de sua empresa não conseguir enviar um email importante para concretizar um grande negócio, pode ter certeza que ele ficará no pescoço do gerente de TI até que a situação seja normalizada.

Logicamente, neste meio tempo, existem diversas tarefas que você pode executar offline no seu computador. Editar uma planilha ou ler um documento armazenados localmente são exemplos disso, porém, estas atividades também podem ser feitas tranquilamente em um Chromebook. Se Internet cair você continuará trabalhando normalmente e assim que a conectividade for restabelecida, seus dados serão sincronizados com a nuvem de forma transparente sem qualquer intervenção da sua parte.

A maioria dos softwares da Google são projetados para trabalhar assim: Docs, Agenda, Keep, Inbox, Play Música, Filmes, Livros e Fotos são exemplos do que estou falando. Além desses, há diversos apps de terceiros com a mesma capacidade. Se você tiver curiosidade basta pesquisar na web store do Chrome.


3) O Chromebook é apenas um navegador em forma de computador


Acredito que muitas pessoas têm este sentimento porque fazem uma analogia equivocada entre as interfaces do Chrome e a do Chrome OS. Porém dizer que o Chromebook é simplesmente um navegador em forma de computador é menosprezar o trabalho dos desenvolvedores da plataforma. O sistema tem capacidade de executar funções não existentes em qualquer outro navegador, sendo capaz de gerenciar arquivos, impressoras, bluetooth, som, wireless e funcionalidades de energia do computador. Desconheço qualquer outro navegador que tenha capacidade semelhante.

Algumas pessoas argumentam que o navegador Chrome é capaz de fazer qualquer coisa que um Chromebook pode fazer. Assim acham que não devem perder tempo com eles. O que elas esquecem é que agora os Chromebooks são capaz de rodar apps do Android, algo que não é possível fazer em nenhuma outra plataforma, além é claro, do próprio Android.

Vale a pena comprar um Chromebook?


Muitos que lêem este artigo são técnicos e enxergam que este tipo de computador não atende as suas necessidades. Concordo com eles, já que os Chromebooks não foram projetados para este tipo de profissional.

Mas será que se não serve para eles, não servirá para mais ninguém?

Tente imaginar um perfil de usuário que poderia se beneficiar deste tipo de computador. Pessoas que querem simplesmente ver seus e-mails, conversar com seus parentes distantes, ver um filme na web ou escutar música. Estas pessoas não estão interessadas em saber quanto de memória tem os seus computadores ou para que serve um HD. Querem simplesmente que seus computadores funcionem sem se preocuparem em ter seus arquivos perdidos por vírus ou lidar com problemas técnicos. Para este tipo de pessoa, um Chromebook é uma escolha perfeita.

Perceba que diminuindo a complexidade é possível ter ganho de produtividade porque a chance de algo dar errado é menor. Como é dito sabiamente:  “Às vezes menos é mais”.